Pesquisar neste blogue

A carregar...

sábado, 27 de agosto de 2016

Opinião "Prazer Absoluto" de Cheryl Holt

Cheryl Holf foi a primeira autora que li nesta grande cruzada literária que têm sido os livros sensuais e eróticos. Desde 2010 que esta autora tem sido uma constante na minha estante e o verão de 2016 traz mais uma história que eu não podia perder.
Rendam-se ao "Prazer Absoluto".


O primeiro passo no esquema de sedução e engano de Gabriel passou como uma brisa pelos sentidos de Lady Elizabeth. Habituado camuflar os seus romances com viúvas ou mulheres casadas mas infelizes através da sua arte, Gabriel viu em Elizabeth mais um golpe que lhe permitiria manter o estilo de vida desafogado e aristocrata a que ele e o pai, um terceiro filho de Conde desonrado, se habituaram a viver.
Mas desde o primeiro momento que esteve na presença de Elizabeth, a percepção de Gabriel captou algo mais do que a frivolidade e a pretensa ingenuidade características das damas da alta sociedade Londrina.
Elizabeth era algo mais, uma mulher enjaulada pela sua condição de filha única que viveu toda a sua vida sob a alçada de um pai egoísta, tirano e que recentemente se achou no direito de deixar de lado a sua condição de viúvo ao casar com uma jovem debutante, facto que tornou a vida de Elizabeth ainda mais insuportável.
Farta de viver sob a pressão da imagem de boa senhora, Elizabeth tem a audácia de seguir em frente com o plano de ser imortalizada em quadro pelo famoso Gabriel Cristofore.
Mas será apenas a sua beleza que será escrutinada e registada para a eternidade?
Ou haverá oportunidade de na presença de Gabriel se dar largas a um lado mais privado e autêntico de Elizabeth que até então não tinha tido oportunidade de revelar?
Será este o princípio de algo capaz de transformar uma vida ou arruinar com muitas?


Eu adoro estas histórias!
A dicotomia privada e pública de cada personagem adequada à época, a ingenuidade feminina, o salto de fé de quem não tem nada a perder porque toda a vida viveu uma meia existência.
Ahh adoro :) 
E com Cheryl Holt não há quem enganar mas no entanto, parece que desta vez, não cai completamente de quatro pela história e pelas personagens.
Se há um ponto alto da história em que não tenho um aperto no estômago, é sinal que algo de errado de passa. Eu confesso que não me consegui apegar à personagem de Gabriel e gostei bem mais da dinâmica do casal secundário.

Oh Elsa, andas umas esquisita.
No entanto, Cheryl Holt, como sempre, está no meu radar.
Venha o próximo!

Cheryl Holt é uma autora

Novidade Clube do Autor :: "Inseparável"

«Contada nas vozes de mãe e filha, que lutam desesperadamente para suportar o sentimento de perda causado pela brusca separação, a história está muito bem escrita, fazendo com que o leitor não consiga pôr o livro de lado até chegar ao fim.»
5 estrelas, Daily Express


Carmel é uma menina que está desaparecida. Mas não sabe que está perdida.

Depois do divórcio, Beth vive um medo constante. Acima de tudo, receia que a filha de oito anos, Carmel, com tendência para se furtar à vigilância maternal, possa desaparecer. Um dia, com efeito, o seu pior receio concretiza-se. Um sábado, numa manhã de nevoeiro, Beth leva a filha a um festival infantil ao ar livre, separam-se por breves instantes e Carmel nunca mais torna a ser vista. Vestindo o casaco vermelho de que tanto gosta e que a transforma ao mesmo tempo numa mancha reconhecível e num alvo fácil de identificar, Carmel acaba por cair nas mãos de um homem que lhe diz ser o avô há muito desaparecido. Não tendo outro remédio senão ficar entregue à sua nova família, a menina apercebe-se, à medida que os dias se transformam em semanas e meses, de que o avô possui um dom muito especial... Destroçada, Beth empreende uma busca desesperada e solitária, nunca perdendo a fé no reencontro. Carmel, por seu turno, empreende também uma estranha e angustiante viagem, que a obriga a recorrer a todo o engenho que a caracteriza desde pequena, a fim de manter sempre na sua mente (e na memória) a imagem da mãe.

Alternando entre a história de Beth e o relato de Carmel, numa prosa apaixonante e que nos deixa em suspenso até ao fim, Inseparável é um romance inesquecível.

Uma novidade

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Novidade Pergaminho "A Espia" de Paulo Coelho


«Tudo o que sei é que o meu coração é hoje uma cidade-fantasma, povoado por paixões, entusiasmo, solidão, vergonha, orgulho, traição, tristeza. E não consigo desenvencilhar-me de nada disso, mesmo quando sinto pena de mim própria e choro em silêncio. Sou uma mulher que nasceu na época errada e nada poderá corrigir isso. Não sei se o futuro se lembrará de mim, mas, caso isso ocorra, que nunca me vejam como uma vítima, e sim como alguém que deu passos com coragem e pagou sem medo o preço que precisava de pagar.» 

Mata Hari foi a mulher mais desejada da sua época: a famosa bailarina que usava exóticas danças orientais para chocar e encantar as plateias de toda a Europa; a confidente e amante dos homens mais ricos e poderosos do seu tempo; a mulher com um passado enigmático que despertava o ciúme e a inveja das senhoras da mais alta aristocracia parisiense. Uma mulher que ousou libertar-se do moralismo e dos costumes provincianos das primeiras décadas do século XX - e pagou caro por isso. Em A Espia, Paulo Coelho evoca de forma magistral a vida desta magnífica mulher, que nasceu à frente do seu tempo, apresentando-a ao leitor contemporâneo como uma poderosa lição de força e de liberdade.

Uma novidade

Novidade Marcador :: "A Terapeuta"


Hèctor Amat, um ator famoso que sofre de ataques de ansiedade, vê-se envolvido num terrível crime. Sem saber como, nem porquê, aparece num parque de estacionamento, junto de uma mulher assassinada. Por mais que se esforce para reconstituir os seus passos, não consegue lembrar-se do que aconteceu. O tempo e a investigação não jogam a seu favor, por isso, Hèctor decide pedir ajuda como derradeiro recurso para recuperar a memória. Visita então o consultório da psicóloga Eugènia Llort, a terapeuta que o atendeu depois do crime. Esta relação, num primeiro momento profissional, vai-se convertendo num relacionamento de dependência, que atingirá limites nada usuais. Para que Hèctor possa representar, a psicóloga vai todas as noites ao teatro onde ele interpreta Dick Diver, o protagonista de Terna É a Noite. Mas, tal como a sua personagem, um psicólogo que se apaixona por uma paciente, também ele acaba por se apaixonar perdidamente pela terapeuta.

Uma novidade
Para mais informações consultem o site Editorial Presença

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Novidade Saída de Emergência :: "Tens Coragem?"


Addy Hanlon sempre foi a melhor amiga de Beth Cassidy e a sua parceira de confiança. Ambas cheerleaders temidas pelas raparigas da escola, atingiram o pico das suas carreiras no secundário e lideram uma claque intensamente competitiva e admirada por todas as colegas - até ao momento em que chega a nova treinadora. Dominante e carismática, e uma emissária do mundo adulto além do alcance das jovens, a treinadora Colette French seduz Addy e as outras cheerleaders com o seu charme. 

Apenas Beth, incapaz de aceitar a nova autoridade, permanece fora do círculo de confiança da treinadora, tentando por todos os meios recuperar a sua posição como cheerleader de topo. Mas quando um crime abala a comunidade, começa uma investigação policial que tem como alvo as alunas da escola. À medida que se aproxima o final da época, Addy e Beth irão aprender, da pior forma, que as fronteiras entre lealdade e amor podem ser um terreno perigoso num jogo que já ultrapassou todos os limites.

Uma novidade com data de lançamento marcada para dia 15 de Setembro

sábado, 20 de agosto de 2016

Opinião "Deixei-te ir"


Já vos aconteceu estarem muito bem a ler um livro e lá para o meio uma cena vos deixar de tal forma surpreendidas que sentem uma terrível necessidade de voltar ao princípio para confirmar que não se enganaram nem perderam nada pelo caminho?
Com este livro aconteceu-me isso mesmo.
Deixei-me ir na corrente e depois quando levei com um balde de água fria fiquei em estado de alerta até ao final do livro.
E que estrondo é este "Deixei-te ir".

Uma criança morre, um culpado foge, uma mulher destroçada isola-se, um detective luta para contrabalançar as várias facetas da sua vida mas no fim, isso é pouco para descrever o desenrolar do novelo que é a morte de Jacob e os acontecimentos que levaram até a esse fatídico desfecho que é na realidade nada mais, nada menos que o princípio do livro.
Mas não vos querendo confundir, quando eu mesmo me senti assim, só vos posso dizer, muito resumidamente o seguinte:
Do meio para a frente a história ganha um fôlego que nos rouba o nosso, especialmente em cenas que começam a dar sentido a coisas que aconteceram para trás.
Demasiado confuso?
Não é, acreditem!
E por mais que tenha achado a primeira parte um pouco "demorada", tudo faz sentido na segunda e o ritmo do meio para a frente é alucinante.

Acreditem ainda noutra coisa. Terminei a leitura faz mais de três dias e ainda há eventos e personagens que me dão a volta ao miolo. 
Queria falar mais sobre o livro e sobre um tema em específico mas isso seria dar spoilers e garantidamente é a macabra e tão real temática que me prendeu por completo.

Quando cheguei às últimas páginas consegui visualizar na perfeição, bem cá no fundo da minha mente, como seria a adaptação deste livro a filme. Aquela cena crucial do acidente, os ângulos mortos para o leitor, os segredos escondidos...tudo aquilo que nos é apresentado e posteriormente desconstruído até à verdade.


"Deixei-te ir" foi uma boa surpresa deste verão. Acho que devido a esta leitura vou apostar em mais crime e menos romance nestas férias :) 
E já sei qual será o próximo.

Boas leituras :) 

"Deixei-te ir" é uma aposta
Para mais informações visitem o site Editorial Presença

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Quando os livros se tornam filmes :: "Viver depois de ti"


"Viver depois de ti" é, sem sombra de dúvida, um dos meus livros preferidos de todos os tempos.
Lido e chorado em 2013, relido e "sorrido" neste último fim de semana.
Curioso em como já não me lembrava de muita coisa mas adorei rever Lou e Will. Obviamente que blindei o meu coração e partir para esta nova leitura ciente do que me esperava e o mesmo aconteceu com o filme.
Rejubilei com a notícia da sua adaptação, concordei com a escolha de Emília Clarke e San Claflin para os principiai papéis e deliciei-me com as primeiras imagens e trailers.
Talvez por ter relido o livro não consegui dizer que amei o filme, apenas que o adorei. Se não estivesse tão ciente de todos os detalhes deliciosos e emocionantes que compõem o romance de Jojo Moyes poderia ter apreciado de modo genuíno e em primeira mão a metamorfose de Lou e a temporária libertação de Will. E no fim...no fim teria chorado tanto ou ainda mais do que chorei quando li o livro pela primeira vez.

Não leitores, vão ver o filme, apreciem a beleza simplista e resumida do filme mas fiquem a saber que nada, nunca vai substituir o sentimento magnífico de conhecer certas histórias através de um livro, principalmente esta.

Boas leituras :)
Boas idas ao cinema.
Ah e boas férias :D


segunda-feira, 15 de agosto de 2016

PASSATEMPO de Verão :: Livro "Coisas nada aborrecidas para ser muito feliz" - Mr. Wonderful


COMO O VERÃO NOS DEIXA MUITOS FELIZES...
Este é o passatempo indicado. 
Um livro é sempre um livro e este ainda por cima apela à felicidade, à criatividade, ao bom humor, ao amor, à culinária, à família, à leitura... um pouco de tudo. Quase como uma agenda da felicidade. 

Quem quer explorar um livro que é como um frasco de boa disposição?

Habilitem-se, participando no nosso passatempo com o apoio MARCADOR
E saiba mais no site do Mr. Wonderful

*
Passatempo termina a 31/08/2016

Para se habilitar ao passatempo, preencha o formulário abaixo e siga as regras dos nossos passatempos:

ATENÇÃO - REGRAS:
- O preenchimento do formulário é obrigatório para se habilitar ao passatempo.
- Podem participar todos os dias, basta voltar a preencher o formulário.
- Só serão apuradas participações de fãs e/ou seguidores.
- Ser fã e seguidor, duplica as hipóteses de ganhar.
- Aceitamos participações de residentes em Portugal.
- Sorteamos os prémios no random.org entre todos as participações.
- Qualquer extravio que possa ocorrer com o envio do prémio via CTT não é da nossa responsabilidade. 

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Opinião "Livre para Amar"


Desde que este livro saiu que fiquei de olho nele.
Depois do arrombo emocional que foi ler "Entre o Agora e o Nunca" e respectiva continuação, era

Infelizmente na altura do lançamento a oportunidade não surgiu e só agora, meses depois, tive tempo para pegar no meu "bilhete" para o Hawaii e sofrer a mudança que Luke e Sienna magicaram na vida um do outro.

Conhecemos Sienna a caminho de um grande trabalho no Hawaii, um daqueles que lhe vai dar uma grande comissão e a possibilidade de subir mais um degrau na escala de sucesso da empresa de organização de eventos para a qual trabalha.
Decidida em prosperar, Sienna foca-se no trabalho a 200%, quer por questões de mérito, quer por ter crescido com uma família que sempre lutou com o orçamento ao final do mês e o malabarismo de manter a coesão no meio tantas horas de trabalho.
Mas nos planos cuidadosamente elaborados de Sienna não figurava Luke, o enigmático surfista capaz de abalar as suas fundações com meia dúzia de frases e fazê-la mudar de planos de uma hora para a outra.
E quanto a Luke.....eu não vou falar de Luke, têm de perder tempo com a leitura para o ficar a conhecer. Depois percebem porquê...

E é assim que começa o prolongamento da estadia de Sienna no Hawaii.
Uma promessa de liberdade, de paz e férias torna-se em algo mais, torna-se num abrir de olhos, coração e mente.
Que mudanças se vão operar na vida de Sienna?
Será ela capaz estabelecer novas prioridades para a sua vida ao ver o seu dia a dia numa perspectiva diferente? 
Será Luke o catalisador para essa mudança de opinião?
Ou será toda a filosofia de Luke motivo de preocupação?

Um livro que me apanhou logo desde a sinopse pelo local e pela luta que sabia ser a tormenta da personagem feminina mas que agora me prende pelo momento em que nos transporta para a Ilha, nos seduz com umas férias libertadoras, nos faz enamorar por uns olhos cor de avelã, nos suspende na dor do desconhecido mas que depois nos faz chegar ao fim a sorrir e a desejar partir de férias para o Hawaii e quem sabe até tropeçar num surfista jeitoso como este.

Um leve romance de verão, repleto de uma forte carga emocional e com o tipo de personagens que J. A. Redmerski já nos deu a conhecer anteriormente (facilmente...gostáveis?!)
Porque não temos mais livros desta autora???
Eu nem peço as séries....ficava contente por ler "Song of the fireflies"
Presença....fico à espera :P

Uma mega aposta de verão 
Para mais informações consulte o site da Editorial Presença aqui.

Relembro a opinião a duologia da autora