Pesquisar neste blogue

A carregar...

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Opinião :: "Se eu ficar"

“Se eu ficar” coloca um questão interessante e que provavelmente os mais cépticos nem sequer consideram válida . Será que quem está entre a vida e a morte, num estado inconsciente para o mundo terreno, pode ter decisão na matéria de ficar neste mundo ou partir para o outro lado, para um caminho do qual não há retorno?
As razões que me levaram a ler este livro foram o visionamento do trailer e as opiniões contraditórias que li no Goodreads. Torna-se quase curioso como alguns pontos que uns consideram ser o ponto alto da história são exactamente os mesmos que a tornam fraca na opinião de outros.
“Se eu ficar” assim como a sua continuação, “Espera por mim” são dois livros da categoria Young Adult. Curiosamente, cada vez mais me vejo como uma leitora deste género e já me encontro a uma década de distância da faixa etária alvo.
No entanto, não é a categoria que delimita o leitor, é a sua própria mente, a sua experiência e a sua capacidade de analisar o que lê.

Como esta leitura foi feita de seguida, quase me sinto tentada em publicar uma opinião “dois em um” mas como detesto spoilers, faço-o em separado.

“Se eu ficar” faz-nos apaixonar pelas personagens, não todas, especialmente a mim, não me fez apaixonar por Mia, a nossa personagem principal e que conhecemos no dia em que a sua vida muda para sempre.
Na flor dos seus 17 anos, Mia nasceu no seio da uma família que infelizmente só conhecemos nos filmes (pais cool ao estilo punk/rock e irmão sarcástico e inteligente) mas que faz as nossas delícias em todos os momentos que aparecem. Na realidade, ficar sem eles custa-nos tanto a nós como aos familiares e amigos que os perdem na história.
Até à data do acidente que vitima a sua família e deixa Mia num trapo e em coma com a vida por um fio, a sua vida era preenchida pelo violoncelo, a sua paixão pela música clássica, a família roqueira, a escola e Adam. Oh Adam, aquela personagem que inicialmente vemos como o clássico puto cool, guitarrista numa banda e que nem precisa de se esforçar para estar bem com a vida mas que com poucas cenas nos rouba o coração (mas já me estou a adiantar, visto que o segundo livro é sob o ponto de vista de Adam e o que me está mais fresco na memória).

É quase doloroso acompanhar Mia no limbo, no seu estado incorpóreo, enquanto os seus familiares e amigos vão sabendo da notícia e correm para o hospital para estar com ela. Mais doloroso ainda são as analepses (os flashbacks) de determinados momentos chave na sua vida familiar, na sua história com Adam, na sua amizade com Kim e no desenvolvimento da sua paixão pelo violoncelo. Mas são esses momentos que nos prendem à história, que nos fazem sentir compaixão por Mia. A sua vida como ela a conhece esta completamente devastada, a única constante é Adam e a música. A dor de acordar orfã será insuportável e mesmo com todos os esforços das pessoas que lhe são importantes, Mia orbita pelo hospital sem saber se deve ficar ou partir.
Deverá ela lutar pela vida e sair do coma ou aceitar o destino?
Será o amor de Adam suficientemente forte para a manter deste lado ou será a música a sua ancora à vida?

Um romance que se torna pequenino e que não me arrebatou por completo mas que deixou presa o suficiente para pegar de imediato na continuação, “Espera por mim”
São aquelas últimas linhas que me dizem que tudo vai mudar e eu preciso de saber qual a direcção que ela segue.

Sei que a adaptação ao cinema está prevista para estrear em Portugal a 28 de Agosto. Mesmo que sejam feitas alterações e algumas personagens não sejam como eu as imaginei durante a leitura, este é o tipo de livro que em filme resulta às mil maravilhas, quer as partes de Mia no estado comatoso a ver a vida desenrolar à sua volta enquanto permanece no hospital, quer os flashbacks que tanto me agradaram no livro.
Com acompanhamento de uma banda sonora pensada ao segundo, um equilíbrio perfeito entre a música clássica de Mia e o rock de Adam, o meu interesse pelo filme mantém-se inalterado e espero pacientemente pela estreia.


Até lá, aguardem a opinião do segundo livro, que a meu ver, superou este e conquistou-me por completo.

Boas leituras :)

Aproveito para divulgar a página portuguesa de facebook dedicada ao filme
If I Stay - Portugal

2 comentários :

Tânia disse...

Vi no vosso facebook que postaram que iam sair livros eróticos com o correio da manhã, mas dado que são muito mais baratos que os "normais" devem ser em formato menor tipo livro de bolso, certo?
Beijinhos.

ElsaR disse...

Olá Tânia
Creio que sim. Nunca comprei nenhum colecção que saiu com o correio da manhã mas pela imagem, creio que são tamanho livro de bolso.