Pesquisar neste blogue

A carregar...

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Opinião "Apenas um dia" de Gayle Forman

"A vida começa no limite da tua zona de conforto"


Uma dia disseram "tu não estás apaixonada por mim, estás apaixonada pela liberdade que te dei a conhecer". Hoje ao ler a história de Allyson dou comigo a sorrir e a pensar no quanto todos nós desejamos encontrar e manter a Lulu que existe em cada um de nós e abrir as asas para um caminho desconhecido mas que sabemos ser o nosso.

Conhecemos Allyson, uma estudante americana, nos últimos dias da "viagem da sua vida" pela Europa e imediatamente antes de iniciar o cuidadosamente preparado 1°ano na curso de medicina. Uma rapariga comedida, calma e com a vida planeada pelos pais à mais ínfima vírgula, Allyson nunca colocou o pé fora do caminho...até ao dia em que Willem, o pseudo actor shakesperiano holandês se cruza no seu caminho. Um encantamento pelo espírito solto de Wilhelm, a descoberta de um lado seu até então escondido,uma viagem inesperada de um dia a Paris, uma série  de memorias nada turisticas, marcas na pele no coração e na alma, sorrisos eternos e cicatrizes profundas. Foi assim um dia em Paris, um dia em que com Willem se abriu uma porta na mente de Allyson, uma que deixou entrar uma corrente de ar tão forte que foi capaz de abalar as fundações tão fixas e previsíveis de Allyson.

"...durante todo aquele dia em que estive com Willem, em que fui a Lulu, percebi que, até então, tinha vivido toda a minha vida fechada num quartinho sem portas nem janelas. Mas depois apareceu um sujeito, que me mostrou que o tal quartinho tinha uma porta...
e agora, faça o que fizer, não consigo encontrar a tal porta"

Há pessoas que projectam em nós um encantamento invisível que nos incita a dizer o que pensamos ou a ser quem realmente somos, sem subterfúgios, sem filtros.
Willem tem esse poder sobre Allyson, mesmo sem ter conhecimento disso. Com ele a Allyson que vive sossegada na sua mente, a quem os pensamentos querem sair em catadupa cá para fora tão rápido que se atropelam e nada sai, essa Allyson pode ser quem quer, pode ser Lulu, pode ser algo mais que aquilo que toda a gente espera que ela seja, pode deixar se ser....previsível.

Preparem-se para sorrir, para compreender as personagens e para sonhar mas acho que acima de tudo devem preparar-se para sofrer um pouco, nem que seja até ao momento em que podem respirar fundo porque tudo se encaminha para o derradeiro final.
Afinal um dia...por vezes não se consegue pensar para além disso.

Tenho uma vontade enorme de encomendar o segundo livro online JÁ...
quero saber o que acontece de seguida. Please please please, que não demore muito! Já sofri bastante com a Allyson.

E hoje, no dia em que já tinha a opinião pronta a ser publicada, sou assaltada pela Super FM que não só me leva pela Avenida das Memórias como me mostra um música que encaixa perfeitamente na história.

Time for you to go out to the places you will be from

"Apenas um dia" é uma novidade

Sem comentários :