Pesquisar neste blogue

A carregar...

terça-feira, 29 de março de 2016

«Regresso a Mandalay» de Rosanna Ley -- Opinião


Rosanna Ley estreia-se em Portugal com um romance que nos transporta até um destino longínquo e exótico, onde um toque de mistério na dose certa, envolve o leitor num enredo recheado de artefactos e locais ancestrais que descrevem a Birmânia da década de 30 e hoje, Myanmar. 

"Todavia... A Birmânia era calorosa e vibrante e tinha-se-lhe entranhado na pele. E havia Maya."

É pela Birmânia de Lawrence que Eva sente ainda mais o apelo de partir. «Regresso a Mandalay» é a história de uma neta, Eva, na senda do passado perdido do avô, Lawrence, recordando a sua maior paixão, Maya. 
O passado é algo muito presente também na vida de Eva, pois o antigo assume um papel muito importante a nível profissional e é isso que lhe permite essa oportunidade. No entanto, agora é chegada a fase de sentir o passado de forma mais vívida e logo mais imprevisível.
No ramo das antiguidades, Eva parte a trabalho, mas também para vivenciar as histórias que o avô lhe contava desde pequena.

"O pagode de Shwedagon revelou-se muito mais interessante do que Eva esperava. Era maior, mais grandioso e mais dourado. Os mosaicos que revestiam as paredes e as colunas resplandeciam, e os entalhes em teca que ornamentavam os alteras e os pequenos pagodes eram simplesmente de cortar a respiração. Eva estava maravilhada."

Perdida entre stupas, focada na energia dos nats e a absorver os enigmas dos chinthes que revelam parte da história do avô e de Maya, Eva sente-se maravilhada com as cores, os odores e todas as sensações que experimenta através da cultura e dos hábitos que lhe inebriavam os sentidos.
Entre tesouros e ofertas raras, toda uma outra época é trazida para o centro da acção, enchendo-a de uma atmosfera imperialista. 

"Ao olhar em volta pela última vez para os edifícios do mosteiro, Eva pensou na mulher que tinha vivido ali, a mulher que recebera pela primeira vez a oferta especial dos dois chinthes da rainha Supayalat, a última rainha da Birmânia."

É ainda importante dizer que o enredo não se prende só na ligação de velhas paixões e mistérios daquela época dourada, o livro é rico em descrições fabulosas, mas também na própria história de Eva. Toda esta incursão a fará pensar em si e na sua vida e viver uma aventura. Dizer mais será retirar o brilho e a magia de descobrir este romance.


*


Mais informações AQUI

Sem comentários :