Pesquisar neste blogue

A carregar...

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

«Quero ser absurdamente feliz" de Isabel Losada :: Opinião

AVISO AO FUTURO LEITOR!!!
Não me responsabilizo por estados eufóricos, fruto de ler e não conseguir parar de rir.

«Sabe aquelas pessoas que irradiam sempre um optimismo alegre independentemente do que lhes esteja a acontecer na vida? Repugnantes, certo? Quero ser uma delas. […] Quero descobrir como viver a vida inteiramente, abundantemente, alegremente, estupidamente. Esta é a minha demanda. A iluminação espiritual.»

Isabel Losada traz-nos, sem dúvida, um livro alegremente provocador, inteligente, atribulado e honesto, tal como os jornais internacionais a destacaram.

É difícil explicar o quão divertida pode ser esta leitura se ainda não tiverem passado por nenhuma destas experiências ou nem sequer pensem em passar, ainda assim, só pela curiosidade é hilariante pensar em workshops entre freiras ou dança de deusas da fertilidade ou coisas mais evasivas como irrigação do cólon ou a busca pelo nosso anjo da guarda. No entanto, essas formações existem e estão espalhadas por inúmeros países, dando origens a imensos programas, palestras e livros e torna-se muito divertido ler sobre tais situações pela mão desta autora, já que a forma como se auto-questiona é um misto de displicência e de desejo em acreditar que seja possível. E melhor, vai sendo.

"Tirei uma alface aterrorizada e consumi-a, sacrificando também alguma fatias de pão proibido e um pedaço de queijo completamente vetado."

Entre de coração aberto para este relato de incursões nas práticas dos New Age, ainda assim não espere receitas infalíveis, nem planos de 7 dias ou programas de guru, há sim uma constante vontade de olhar à vida como ela é, com a necessidade de crescer emocionalmente e com isso sim chegar a patamares (ténues e até meio desfocados) de felicidade.

"O passado acabou. A única validade no acto de nos lembrarmos de vidas passadas consiste em pô-las no passado."

"-Gostaria de experimentar chavati thirumal?
Não é todos os dias que ouvimos alguém perguntar-nos isto. Dá a sensação de que a resposta deveria ser: «Não. Acho que prefiro tikka masala.»"

E atenção, este livro é sobre atribulações no caminho para a iluminação, não os passos certos para esse estado do absurda e estupidamente feliz, mas realmente, só andando é que se faz o caminho, teste lá este feito em 14 fases.

"Fase oito: de cabo a rabo
(...)
Irrigação do cólon.
Em Nova Iorque, se nun a tiver feito, as pessoas olham para si com nojo. Seria o mesmo que admitir publicamente que nunca tomou banho.
(...)
- Qual é a sua regularidade? (...)
- Uma vez por dia? Uma vez por semana? (...)
- E quando acaba, sente que o trabalho foi completo?
- Ah, a completude! Não era isso o Caminho para a Iluminação?"

Se desejar banda sonora, clique aqui.

Um livro SINAIS DE FOGO.

Sem comentários :