quarta-feira, 12 de julho de 2017

Opinião :: "Os Passageiros do Tempo"

Faz dias que terminei a leitura de "Os passageiros do tempo" mas só agora consegui publicar a opinião.
Sabem quando gostam imenso de algo mas não fazem a mais pálida ideia de como expressar a vossa opinião?
Por vezes isso acontece-me com os livros porque os detesto ou porque os adoro.
E de uma coisa eu tenho certeza....EU ADOREI ESTE LIVRO!
Mas como vos passo a minha opinião sem contar os detalhes da história!?


Conhecemos Etta no dia em que podia ser o do derradeiro passo em direcção à carreira de violista com que ela, a mãe e a sua professora sempre sonharam mas como que num piscar de olhos, esse tornou-se no mais confuso e devastador momento da sua vida. Arrancada do tempo a que sempre chamou casa, ciente de ter perdido os que mais amava, Etta é levada para trás no tempo e dada a conhecer um lado da sua vida que ignorava por completo.
Como será descobrir que, de um momento para o outro, podemos viajar no tempo? 
Como será perceber que estamos atrás no tempo 240 anos?
Como poderá a nossa educação de século XXI nos servir?
Num tempo estranho, no meio de desconhecidos, em quem pode Etta confiar?



"Para mudar o futuro, é preciso voltar ao passado".

Peão na derradeira jogada da família Ironwood para manter o poder sobre todos os viajantes, Etta vê-se entre a espada e a parede quando tem de embarcar numa busca arriscada por um objecto que pertenceu à sua família e que pode mudar tudo.
Mas se em todos os seus anos de vida ela não fazia ideia de ser capaz de viajar no tempo, como poderá ela levar a cabo tal expedição?
Ou será que na educação que teve ao longo de toda a sua vida, estava lá tuda a bagagem que ela precisa para esta viagem?

Mas Etta não está sozinha nesta aventura....
Sophia, a representante lacaia da família Ironwood pode ser irritante mas tem os seus detalhes interessantes.
Mas é o Carter que nos cai no goto logo desde os primeiros instantes.
Nicholas Carter, um ex escravo com uma presença silenciosa e forte, uma liberdade recente e tão apreciada, vê nesta última tarefa para a abominável família Ironwood o bilhete para o futuro que sempre desejou, o de capitão do seu próprio barco. O que vem mudar tudo? O momento em que se vê no mesmo convés que Etta. Não, não foi amor à primeira vista. Foi respeito, reconhecimento, compreensão, admiração e um sem número de outros sentimentos, mesmo aqueles que reprimiu desde o primeiro momento.
O contacto entre ambos evolui de uma maneira que nos deixa com um sorriso nos lábios e um pé atrás.

"Esqueço-me do que sou contigo...Esqueço as regras. Esqueço todas as pessoas no mundo"




Viajamos por um aventura que nos leva pelo mundo inteirs, por tempos tão diferentes entre si que a única que coisa que infelizmente se mantém constante são os preconceitos, as mentes fechadas, as regras estúpidas, todas aquelas coisas estúpidas pelo qual ainda hoje se luta.
Fiquei realmente presa à leitura e se pudesse, tinha fechado o primeiro e aberto o segundo.
Mas não pode ser....

Este era daqueles livros que davam uma série espectacular. As mudanças de tempo, os contrastes de época, os cenários, a história repleta de poder, vingança, preconceito, amor, lealdade e tantos outros assuntos, tão importantes hoje como nos outros séculos que visitamos ao longo do livro.

Se procuram uma leitura que vos leve pelo mundo inteiro sem tirarem o corpinho da toalha nesta férias, "Os Passageiros do Tempo" são a escolha perfeita.

Deixo a música que acho que encaixa como uma luva nesta história. Pelo menos na minha playlist literária :) 

"Os Passageiros do Tempo" são uma aposta

Sem comentários :